Estudo de Caso – ERP Summit – Evento de Tecnologia em São Paulo

Vídeo By Renato Chamasquini Eventos Nenhum comentário em Estudo de Caso – ERP Summit – Evento de Tecnologia em São Paulo

Estratégia de vendas de ingressos para eventos de tecnologia

Em abril de 2017 foi realizado um grande evento de tecnologia em São Paulo: o ERP Summit, o primeiro evento do Portal ERP, voltado para a comunidade de Softwares de Gestão.

Grandes nomes do mercado de TI participaram do ERP Summit como palestrantes e patrocinadores, além de Gustavo Loyola, ex-Presidente do Banco Central do Brasil e Ozires Silva, fundador da Embraer.

A Agência InsideOut foi responsável pela criação e execução da estratégia de venda de ingressos para o evento, que recebeu mais de 900 participantes e foi realizado no Novotel Center Norte.

Aqui na InsideOut nós sempre dividimos qualquer evento em três grandes áreas: Concepção, Produção e Divulgação. Neste artigo vamos falar como cuidamos dessa última área para este evento.

 

Criação da Estratégia

Quando fomos escolhidos para executar essa missão, sabíamos que era uma grande responsabilidade, pois este seria o primeiro grande evento realizado pelo Portal ERP e não podíamos falhar. No dia 24 de abril de 1017, o evento tinha que estar lotado.

Mas como fazer uma estratégia para um evento que é uma novidade no mercado? Essa foi a grande pergunta que fizemos no início do projeto e a resposta acabou sendo dividida em 3 passos que vamos compartilhar agora com você.

 

Passo 1 – Estudar o Mercado

O primeiro passo para a criação da estratégia de venda de ingressos para o ERP Summit, foi estudar o mercado de ERP. Com a ajuda do Portal ERP, fizemos um levantamento dos principais players do mercado e a partir dali realizamos um estudo sobre o que estas empresas estavam comunicando.

Esta fase foi fundamental para que pudéssemos entender qual era o público ideal para os patrocinadores do evento. Realizar este estudo fez com que pudéssemos identificar para quem as empresas queriam mostrar seus produtos durante o evento. A partir disso partimos para o segundo passo.

Passo 2 – Estudar a Persona

Responda rápido: Para quem é o evento?

A) Para o organizador

B) Para o patrocinador

C) Para o participante

É uma pergunta difícil de responder, certo? Foi exatamente por isso que resolvemos demorar um pouco mais nesta fase.

O estudo da persona pode ser  decisivo para o sucesso do evento e para nós, naquele momento, a resposta foi a letra C, afinal nossa estratégia era para venda de ingressos para usuários, vendedores e fabricantes de softwares, portanto tínhamos que pensar nesse público, estudar seu comportamento, descobrir suas necessidades, entender os seus desejos e mapear as suas frustrações.

Utilizamos algumas ferramentas pra realizar essa tarefa, mas a principal delas é o Mapa da Empatia. Ele ajuda você a criar uma oferta baseado nas necessidades e aspirações dos seus clientes. Para isso basta imaginar o “personagem” que o representa. Você pode chamá-lo de persona, buyer persona ou avatar.

No mapa você relaciona o que o seu cliente vê, pensa, ouve, fala e faz; bem como as dores, necessidades e desejos.

 

Passo 3 – Fazer uma engenharia reversa

Já estávamos vendo o evento lotado de pessoas ávidas por informação e conexão com pessoas do segmento. A plenária estaria com todos os espectadores de olho nos palestrantes; CEO’s, CTO’s, Economistas, Empreendedores e mesa para debates ricos sobre o futuro do setor.

No espaço de exposição estariam circulando possíveis clientes para os expositores e nas salas de palestras todos estariam aprendendo muito com os estudos de caso apresentados pelas empresas.

Ao final do dia, todos estariam felizes com o resultado do evento e torcendo para que em 2018 ele seja realizado novamente.

Isso realmente aconteceu em abril de 2017, mas na época da criação da estratégia, em novembro de 2016, nós começamos a criar esse cenário antecipadamente nas nossas mentes. Só depois que esta realidade se transformou no nosso resultado esperado, é que fomos voltando no tempo e desmontando o cenário para entender quais eram as peças deste grande quebra-cabeças.

Na prática, as peças que se mostraram foram analisadas uma a uma e separadas por tópicos para facilitar a visão de cada ponto importante. Os tópicos foram as seguintes:

Lista de emails do cliente

  • Qual era o tamanho da lista;
  • Como era o engajamento com a lista

Visitas no site

  • Quantidade média de visitas mensais
  • Posição dos artigos do blog no ranking dos mecanismos de busca

Produtos

  • Produto sendo comercializado atualmente
  • Taxa de conversão

Presença Digital (Redes Sociais e Conteúdo)

  • Fãs e engajamento no Facebook, Linkedin, Twitter e outras.
  • Quantidade de conteúdo publicado na internet

Budget para anúncios

  • Disponibilidade de verba total
  • Calendário de desembolso dessa verba
  • Tempo para realização da campanha
    • Quando começar a campanha
    • Quando intensificar a campanha de acordo com o comportamento de compra do cliente
  • Agenda do cliente
    • Quem é o porta voz da empresa
    • Disponibilidade para produção de conteúdo

 

Depois de fazermos o levantamento de todos esses dados, criamos as pautas de conteúdo do evento, a Agenda de Publicação e a Agenda de Compra de Tráfego.

O resultado de todo esse trabalho foi bem comemorado e você pode ver um pouco do que aconteceu neste vídeo que foi produzido pela nossa equipe.

 

Se você gostou desse conteúdo e ele te ajudou de alguma forma, comente aqui embaixo o resultado pra que possamos saber.

Caso você esteja realizando um evento e quer ver essa metodologia de trabalho sendo aplicada para a divulgação e venda de ingressos, entre em contato conosco através desse formulário.

Grande abraço!

 

Deixe o seu Comentário
  • Share: