Como aumentar a taxa de conversão da sua empresa

By Harley Correia Inside Sales Nenhum comentário em Como aumentar a taxa de conversão da sua empresa

Uma das grandes vantagens do marketing digital, além do alto poder de segmentação do público e seu baixo custo em relação a outros meios de comunicação, é a possibilidade da mensuração de resultados através de dados e, também pelo acompanhamento da taxa de conversão.

Com diversas ferramentas que disponibilizam métricas com informações preciosas, mensurar sistematicamente o retorno  de cada estratégia é fundamental para perseguir as metas de vendas.

Contudo, de nada adianta ter “em mãos” todos os dados importantes para aprimorar suas ações, se você não investe em estratégias que realmente tragam um resultado positivo. Para isso, vamos apresentar a seguir 4 práticas para melhorar as taxas de conversão do funil de vendas da sua empresa. Continue a leitura!

Afinal, o que é taxa de conversão?

Antes de tudo, é preciso que você entenda o que é a taxa de conversão, certo? Basicamente, a métrica indica o retorno de cada investimento do seu negócio em relação às vendas, sendo também uma boa forma de mensurar os resultados das suas estratégias de marketing digital.

Com a taxa de conversão é possível avaliar o desempenho e os resultados reais obtidos pela empresa, mostrando, inclusive, quais ações têm trazido mais retorno e, portanto, devem ter um investimento maior, e quais delas precisam ser aprimoradas, ou até mesmo abortadas.

Para medir, é simples: basta dividir o número de visitas pelo número de conversões de um determinado período. Por exemplo, seu site recebeu 20.000 visitas, e teve 2.000 conversões, a taxa de conversão será de 10%.

Como posso melhorar a taxa de conversão da minha empresa?

Depois de explicamos melhor o que é a taxa de conversão, é hora de saber como aumentá-la. Há diversas estratégias online que podem ajudar a melhorar os resultados do funil de vendas do seu negócio. Abaixo listamos as principais, confira!

1. Landing pages

Landing pages ou páginas de destino, são páginas de conversão com o objetivo de transformar os usuários em lead e, consequentemente, seus leads em clientes.

Para isso, essas páginas são direcionadas a convencer os visitantes a disponibilizar algumas informações preenchendo um formulário, em troca de uma oferta/benefício — que pode ser um ebook, por exemplo. Na hora de criar uma landing page, vale observar algumas dicas:

  • os formulários devem ser simples e fáceis de serem preenchidos. Portanto, solicite apenas informações importantes para entrar em contato, como nome e e-mail;
  • a oferta oferecida para o cliente não precisa ter foco no seu negócio, pode ser dicas, descontos ou novidades a respeito do mercado de atuação;
  • o título deve ser atrativo e convincente. Para isso, use elementos visuais, além de criar chamadas que criem uma sensação de necessidade para o usuário, como: “O guia definitivo”;
  • a descrição também precisa chamar atenção sobre o que está sendo oferecido/disponibilizado. É preciso ser relevante, mas, ao mesmo tempo, objetivo;
  • o Call-to-action é um dos elementos principais de uma landing page, assim, ele precisa ter o tamanho, posicionamento, texto e cor corretos.

2. Call-to-actions (CTA)

Acabamos de falar que o Call-to-action (CTA), é um dos principais aspectos para o sucesso de uma landing page. Mas ele não deve ser utilizado apenas nas landing pages, como também deve ser aplicado em outras estratégias, como o e-mail marketing, site, e-commerce etc.

O CTA significa “chamada para ação”, ou seja, um recurso que solicita a ação imediata dos seus clientes e potenciais clientes para fazer determinada interação, após ter visualizado um conteúdo.
Eles podem vir em forma de link, texto ou botão, acompanhados de frases que incentivem o usuário na tomada de decisões, como: “baixe agora mesmo nosso ebook”. Abaixo mostramos o que um CTA precisa ter para ser eficiente:

  • crie um CTA claro e objetivo, mostrando o que o visitante receberá em troca, caso clique no botão;
  • faça chamadas persuasivas, utilizando verbos no imperativo, como “faça o download”, por exemplo;
  • use cores chamativas, como o vermelho ou laranja;
  • posicione o botão em um local estratégico para que ele tenha uma boa visualização.

3. Experiência do usuário

A Experiência do Usuário, ou UX (que vem do inglês User Experience), consiste nos sentimentos que uma pessoa tem ao usar determinado produto, serviço ou sistema. No caso de um site, por exemplo, alguns elementos são imprescindíveis para que o usuário tenha uma boa experiência na navegação, aumentando, assim, a possibilidade de conversão. Veja alguns desses elementos:

  • design: o layout deve ser visualmente agradável e transparecer credibilidade com a composição de imagens de alta qualidade;
  • conteúdo: o conteúdo precisa ser relevante e útil para o visitante;
  • carregamento: os usuários perdem a paciência com sites lentos. O ideal é que o tempo de carregamento seja de no máximo 2 segundos;
  • adaptabilidade: com o número crescente do uso de dispositivos móveis para o acesso à internet, é fundamental que o site seja responsivo, isto é, adaptável a diferentes formatos de telas.

4. Search Engine Optimatizion (SEO)

A internet é uma ferramenta decisiva no momento da compra para boa parte dos consumidores. Para se ter uma ideia, 60% a 70% das buscas realizadas em mecanismos de busca, como o Google, e redes sociais, têm a intenção de pesquisar e encontrar marcas, produtos, serviços ou lojas online. De acordo com o estudo realizado pela Boston Consulting Group (BCG), “Varejo no Brasil: a influência do digital sobre o consumo”.

Desse modo, é essencial estar bem colocado para aparecer nos primeiros resultados dos buscadores. Para isso, é preciso utilizar técnicas de Search Engine Optimatizion (SEO) — conjunto de estratégias para melhorar o posicionamento de um site nos resultados de busca. Algumas técnicas são bem simples de serem aplicadas, veja:

  • inserir palavras-chave que relacionadas a seu produto e tenham uma concorrência razoável de pesquisa pelos usuários;
  • produzir conteúdos de qualidade e úteis para o público, com fotos, gráficos e outros elementos que enriqueçam o texto;
  • dispor de URL das páginas amigáveis. Ou seja, que contenham palavras ou frases que sugerem o tema da página. Por exemplo: http://sitedaempresa.com/5-dicas-de-seo-para-o-seu-site;
  • colocar a palavra-chave no título da página, e também explicar em poucas palavras o conteúdo dela;
  • inserir imagens com nos dos arquivos que inclua a palavra-chave, como: “5-dicas-de-seo.jpeg”.

Gostou das nossas dicas? Outra boa opção para aumentar a taxa de conversão da sua empresa, e que não citamos neste post, é melhorando o seu processo de venda. Abordamos aqui tudo sobre o assunto. Confira!

Deixe o seu Comentário
  • Share:

Leave a comment