Google Search Console: entenda como utilizá-lo na sua empresa

By Harley Correia Marketing Digital Nenhum comentário em Google Search Console: entenda como utilizá-lo na sua empresa

Google Search Console: entenda como utilizá-lo

Toda funcionalidade para melhorar o seu site é sempre bem-vinda, principalmente se ela não for gerar mais nenhum custo adicional e aprimorar a presença digital, certo? Essa é a proposta do Google Search Console, uma ferramenta gratuita feita pelo Google para ajudar você a monitorar e manter a presença da sua página nas pesquisas orgânicas realizadas no buscador.

Com o Google Search Console é possível identificar problemas prejudiciais para a classificação do seu site, manter a limpeza, removendo spams, entender como o Google analisa e indexa a sua página na web e analisar situações desfavoráveis para a experiência do usuário.

Por que usar o Google Search Console?

A maioria das pesquisas realizadas na internet atualmente são feitas por intermédio do Google. Por isso não dá para dispensar a otimização do seu site nesse buscador tão popular. Entre as razões que podemos citar para você utilizar hoje mesmo o Google Search Console estão:

  • verificação se o seu conteúdo está disponível no Google;
  • enviar conteúdos para serem pesquisados e remover os que você não quer que sejam exibidos;
  • identificar e resolver problemas de spam e malware na sua página da web;
  • manter o site com o menor número de interrupções para verificar desempenho;
  • produzir e acompanhar todos os conteúdos que exibem resultados de pesquisa com visual atrativo;
  • descobrir que tipo de pesquisa gera a exibição do seu site no Google;
  • saber se informações importantes para o seu negócio estão aparecendo nos resultados das pesquisas avançadas;
  • verificar se a responsividade do seu site em dispositivos móveis está sendo satisfatória.

Quais são as principais funções do Google Search Console?

Essa ferramenta possui funcionalidades específicas para melhorar a sua experiência com o seu site, abaixo abordaremos detalhadamente as principais delas.

Aparência de pesquisa (Search Appearance)

Essa função do Google Search Console permite que você analise as otimizações possíveis para melhorar a aparência da sua página quando for apresentada em um resultado de pesquisa.

Com o relatório de dados estruturados você identifica as informações que estão apresentadas no seu site e que o Google consegue visualizar para apresentar em rich snippets — que são aqueles primeiros resultados de pesquisa que aparecem no buscador em formato diferente dos abaixo.

Quando você encontrar os erros nos dados estruturados, é só utilizar o marcador respectivo para indicar ao Google o que é cada conjunto de informações da sua página.

Nessa funcionalidade também há disponível o relatório de melhorias de HTML, que apresenta os possíveis problemas localizados pelo Google durante o rastreamento do seu site. Vale lembrar que o buscador dá prioridade para conteúdos exclusivos e busca na meta descrição, título e indexação, as informações que apresentem que aquele material é único na web.

Em outro relatório você visualiza os links para site. Se você achar que visualmente é melhor não aparecer o sitelink no resultado de pesquisa, é possível desabilitar esse algoritmo que hoje é automatizado. Também é possível ter acesso aos relatórios de erros das páginas aceleradas para dispositivos móveis.

Tráfego de pesquisa (Search Traffic)

É essa função que detalha as informações sobre o tráfego do seu site. No search analitycs você tem acesso ao tráfego orgânico e visualizará possíveis otimizações, o relatório expõe as palavras-chave utilizadas para que o seu site apareça no resultado da pesquisa, quais páginas dele são referenciadas e os países que as pessoas acessaram, qual tipo de dispositivo, se a pesquisa foi para imagens ou para web e análise por datas.

No relatório de links para o seu site você pode ver quais sites fazem referência a sua página, lembrando que esse é um fator importante para o rankeamento no Google. O que também ajuda na estratégia são os links internos e que são apresentados em planilhas da mesma forma.

Dentro do tráfego de pesquisa há especificidade de ações manuais. O buscador usa de muitos algoritmos para melhorar as pesquisas, mas se encontrar alguma configuração inadequada o Google vai corrigir manualmente e punir a sua página por isso.

Se a sua empresa tem alcance internacional, você pode verificar se a segmentação internacional está sendo feita para os países corretos e adequar o idioma para uma melhor experiência do usuário.

Índice do Google (Google Index)

Aqui é possível acompanhar o status do índice e ver quais páginas indexadas foram bloqueadas ou removidas pelos robôs. Os dados apresentados são aumento constante nas páginas indexadas, volume de índices muito alto, quedas inesperadas e mudanças repentinas.

No tópico de palavra-chave de conteúdo você consegue visualizar as palavras-chave que são mais utilizadas na sua página e os principais sites que a referenciam também. O relatório de recursos bloqueados vai apresentar os problemas que o Google encontrou para indexar a sua página adequadamente.

No remover URLs você vai poder bloquear temporariamente ou remover permanentemente páginas do seu domínio.

Rastreamento (Crawl)

É no rastreamento que você vai saber como o Google rastreia o seu site para indexá-lo. Entre os problemas que o relatório pode apresentar estão os erros de rastreamento com possíveis erros do site e de URL e as estatísticas de rastreamento.

O Google simula como é a indexação do seu site com elementos em Flash ou Javascript. A análise traz se a pesquisa foi concluída, parcial ou redirecionada. Também há a possibilidade de bloquear URLs para não aparecerem nos resultados de busca no teste robots.txt, isso é feito quando a página é irrelevante e você não quer sobrecarregar o seu servidor.

Com o sitemaps você envia o arquivo gerado e visualiza os possíveis erros. Os parâmetros de URL vão indicar para o Google quais são as vertentes que você utiliza no seu site para diferenciar informações que podem ser entendidas como conteúdo duplicado pelo buscador.

Problemas de segurança

É nesta seção que você vai ficar sabendo se o seu site foi infectado com malware ou foi invadido. Se constatar algum problema, você pode analisar se o código não apresenta um download de malware e pedir que a situação seja revisada. Ao solucioná-lo é preciso solicitar um pedido de reconsideração para o Google fazer uma nova análise no seu site.

Quem deve usar o Google Search Console?

Se a dúvida que resta é quem pode utilizar essa importante ferramenta, veja a seguir para quem é indicado o Search Console:

  • empresários que queiram ter acesso aos relatórios básicos do Google, mesmo que de forma mais simples;
  • especialistas em marketing digital que precisam elaborar estratégias sofisticadas para empresas e precisam de muitos dados para acertar na ação;
  • administradores de sites que visam o perfeito funcionamento das páginas da web e principalmente a segurança delas;
  • desenvolvedores da web que queiram monitorar e resolver facilmente problemas de marcação.

Agora que você entendeu como utilizar o Google Search Console para melhorar a sua experiência com o site da sua empresa dentro da sua estratégia de marketing digital, que tal compartilhar este conteúdo com os seus amigos nas redes sociais para esclarecer possíveis dúvidas sobre a ferramenta?

Deixe o seu Comentário
  • Share: